Av. Bandeirantes, 1383 - Taquarussu - Campo Grande / MS

(67) 99615-8255 / (67) 99902-1450 / (67) 3028-1113 / (67) 99848-7576 / (67) 99145-1759 / (67) 98468-1498

Scooters se diversificam e crescem 18% neste ano

30/11/2018 - 15:15 - Cicero Lima / INFOMOTO - FOTOS: INFOMOTO e Divulgação

Há dez anos, quem quisesse um scooter teria apenas quatro opções. Atualmente, são mais de quinze modelos à disposição, oferecido por seis diferentes fabricantes. O aumento da demanda por esse veículo prático e econômico para se locomover na cidade fez com que as opções aumentassem. Só até outubro deste ano, as vendas superaram as 56 mil unidades, crescimento de 18% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram vendidos pouco mais de 48 mil scooters. 

E as opções devem aumentar. Se depender do maior fabricante do Brasil, esse cenário otimista deve se repetir em 2019. A Honda começará a vender o Elite 125, um novo scooter de entrada e o quinto do line-up atual da marca. Um produto “voltado a mobilidade inteligente para os usuários do transporte público e para os novos motociclistas”, declarou a empresa por e-mail. 

O cenário atual dos scooters em nada lembra o de 20 anos atrás. Em 1995, a Honda amargava um dos seus maiores fracassos comerciais com o Spacy 125. O scooter vendeu apenas 2.226 unidades em 17 meses de produção e foi descontinuado. 

Atualmente, a marca comemora o sucesso do PCX 150, hoje o scooter mais vendido do Brasil com 26.250 unidades emplacadas neste ano. Essa liderança permitiu a Honda esquecer o fracasso do Spacy e aumentar sua atuação nesse segmento. O novo Elite será mais acessível que o PCX, vendido por R$ 11.272, e terá como missão desbancar o Yamaha Neo 125 que, até outubro, vendeu 8.908 unidades.

Além dos fabricantes de scooters, os fornecedores do mercado de reposição também se beneficiam do momento atual do mercado. A fabricante de pneus Levorin lançou uma linha de pneus de scooters destinados aos modelos mais vendidos no País. 

Segundo Francis Ferreira, presidente da Levorin, marca que pertence à francesa Michelin, a intenção é oferecer pneus para o mercado de reposição que atendam os modelos entre 100 cc e 300 cc. Considerando que a cada 10.000 km o scooter deve ter seus pneus trocados, a Levorin também terá um grande mercado para explorar.

 

Mais fotos
Clique na foto para ampliar